Dia 08 de Março | Dia Internacional da Mulher | Essência floral Madressilva e a relação com sentimentalismo e a nostalgia feminina

Se existe a saudade é sinal de que, por algum momento algo se fez presente. E quem é que nunca se sentiu emocionado em recordar algo importante? Uma foto de alguém distante, uma música marcante, um cheiro e principalmente a dificuldade de encarar a dura realidade de alguém que se foi e que não voltará mais. Há quem diga, o que conhece os românticos, os poetas… Seus sentimentos afloram à mais leve lembrança.

O sentimentalismo exacerbado muitas vezes nos causa dor, pois a pessoa que o possui está tão ligada ao passado que o momento presente não faz sentido.

Necessitamos nos libertar do passado para dar lugar à novos acontecimentos em nossa vida. A cada dia que nasce é sinal que o ontem já se foi e que a vida requer fatos novos para que também um dia possam ser relembrados.

“A nostalgia muitas vezes é forte indício de depressão, pois o fato de não querer aceitar as novas situações, afeta o indivíduo, bloqueando suas energias. A individualidade fica sujeita a hidropisias, inchaços dos membros inferiores, patologias renais, hipertensão, obesidade, enfisemas, bronquites, asmas , gripes, resfriados, desvitalizações, etc.

A partir das flores brancas, rosadas e cor-de-creme, extraímos a essência floral Madressilva. Estas flores atraem muito as borboletas, insetos com experiências exemplares de transcendência e adaptabilidade, pois abandonam a fase de lavas se transformam em belas e mágicas criaturas.

A Madressilva se desenvolve com peculiar vigor quando nas beiradas dos riachos e córregos, onde parece apreender das águas correntes a noção de transitoriedade das coisas terrenas.”

Através do uso desta essência, sentimos como se a alma se enxugasse das lágrimas de seu sentimentalismo, ajudando-a a resgatar a capacidade para mudanças e o despertar para as novas ligações emocionais com o momento presente.

Héllen A. Carvalho -Terapeuta Floral  


%d blogueiros gostam disto: