Os Quatro Elementos – Uma visão a nível de energia

Podemos nos referir aos quatro elementos (fogo, terra, água e ar) quando queremos entender as forças vitais que compõe a criação e a tudo que pode ser percebido e experimentado pelos sentidos físicos. Nossa necessidade básica de sobrevivência está completamente representada por eles: ar, água, terra (comida) e fogo (calor).

Nosso corpo é constitituído de 70% de água. Da terra, tiramos todas as substâncias sólidas que nos compõem. O ar alimenta nossas células e permite que transformemos essas substâncias em energias. A energia é o próprio fogo, que dá vida aos outros três.

Já que somos constituídos pelos quatro elementos, a formação de nosso corpo físico e etérico, nossa saúde física e psicológica depende fundamentalmente do equilíbrio destas formas de energia. Quando não há uma distribuição correta surge a doença. E se faltasse um destes elementos, a gente não existiria.

Para analisar a influência dos elementos em nossa vida, é preciso traçar o mapa astral. Através dele pode-se identificar se há falta ou excesso de tal elemento Os signos zodiacais que compõem a mandala do mapa podem ser chamados de “campo de energia”, de padrões arquetípicos, de princípios universais, que representam a forma concreta dos elementos.

São eles: Fogo: Áries, Leão e Sagitário – não necessariamente ter nascido sob a constelação (o Sol) nestes signos, mas que mostram predominância de fogo no mapa, são vibrantes, adoram estar em movimento, começando uma tarefa, terminando outra. São muito rápidas nas atitudes e transmitem muita alegria e melhoram o astral de qualquer ambiente. Isso, se estiverem de bom humor, pois quando ficam com raiva é melhor sair de perto, sai faísca prá todo lado. O fogo em excesso, torna a pessoa  hiperativa e fica sempre dependente de emoções fortes. Vivem correndo riscos, possuem muita impulsividade que podem gerar agressividade. Acham que são o centro do universo. Para os que têm falta do elemento fogo, o desânimo e o pessimismo, a insegurança e a preguiça tomam conta. São pacientes  demais e não possuem força de ação, pois sua carga energética está em baixa.

Terra: Touro, Virgem e Capricórnio. Quem é de terra tem os pés bem firmes no chão. São pessoas responsáveis, determinadas, práticas e superligadas na realidade. Quando estão atrás de algum objetivo, não desistem facilmente. Para eles o difícil é soltar a imaginação e se livrar das obrigações. Se o elemento terra é muito forte, a pessoa tende a confiar demais nas aparências. Podem se tornar competivos e ambiciosos, querem conquistar os objetivos a qualquer preço, mesmo que isso signifique ter que “passar a perna nos outros”. Quando há falta deste elemento, a personalidade tende a não querer assumir responsabilidades, se sentem perdidas no mundo. Perdem a noção dos cuidados até mesmo com a aparência física e com a saúde, não estão ligadas  na parte concreta da sobrevivência (refeição, sono, etc).

Ar: Gêmeos, Libra e Aquário. Os aéreos são idealistas, cheios de boas intenções e adoram falar sobre as teorias que inventam. Andam sempre em turma e costumam ser  simpáticos.

 O desafio pode ser a concretização de seus planos. Quando este elemento se encontra em excesso, tal personalidade vive seu lado racional e está sempre pensando demais. Tem dificuldade de se aprofundar e colocar em prática, pois suas atitudes não conseguem acompanhar o ritmo de seus pensamentos, eles querem é divulgar suas idéias. Se o elemento ar está em falta, a criatividade também está. A pessoa não pensa antes de agir e se atrapalha na hora de expor suas idéias. É no ar que as pessoas recebem e trocam energias, a todo momento recebemos energia negativa, transmutamos em energia positiva.

Água: Câncer, Escorpião e Peixes. Os aquáticos são hipersensíveis, intuitivos e acolhedores, são sempre invadidos por uma onda de sentimentos e podem se tornar complicados. O elemento água em excesso torna a personalidade difícil de se entender, contraditória e muito instável, pois não conseguem controlar suas próprias emoções.

Através das essências florais, conseguimos reunir todos estes elementos, pois a planta os recebe no processo de sua formação. O caule enraizado na terra, regado pela água, as folhas recebendo o calor do sol… A flor está repleta de todas estas informações e através do uso de suas essências, podemos nos abastecer, adquirindo o equilíbrio necessário para nosso bem estar físico, mental e emocional.

Héllen A. Carvalho – Terapeuta Floral e Pesquisadora

Compre aqui os compostos florais astrológicos

http://www.floraisdasgerais.com/ecommerce_site/index.php?pg=lista_produtos&cdg=6213&sid=0atsfov0kk8pqvc0t01u9gdov6-1323561095

 

Reflexão 11.11.11

Poema

Fragmentos

 

Do Nada,

 Deus.

De Deus, 

 A Energia.

Da Energia,

A Matéria.

Da Matéria,

A Vida.

Da Vida, A Morte.

Da Morte,

O Renascimento.
Do Renascimento,

A Criação.

Da Criação,

A Existência.

Da Existência,

A Observação.

Da Observação,

A Beleza.

Da Beleza,

A Contemplação.

Da Contemplação,

O Desejo.

Do Desejo,

O Toque.

Do Toque,

A Sensibilidade.

Da Sensibilidade,

A Sutileza.

Da Sutileza,

O Amor.

Do Amor,

O Conhecimento.

Do Conhecimento,

A Sabedoria.

Da Sabedoria,

A Verdade.

Da Verdade,

O Ensinamento.

Do Ensinamento,

O Mestre.

Do Mestre,

O Aprendiz.

Do Aprendiz;

A Experiência.

Da Experiência,

O Trabalho.

Do Trabalho,

A Cura.

Da Cura,

A Transmutação.

Da Transmutação,

O Desapego.

Do Desapego,

A Humildade.

Da Humildade,

A Partilha.

Da Partilha,

A Multiplicação,

Da Multiplicação,

 Expansão.

Da Expansão,

A União.

Da União,

Ao Todo.

Do Todo,

Ao Macrocosmo.

Do Macrocosmo,

Ao Microcosmo.

Do Microcosmo.

Ao Eu.

Do Eu,

A Deus.

De Deus,

A Natureza.

Da Natureza,

As Flores.

Da Flor,

O Fruto.

Do Fruto,

A Semente.

Da Semente,

A Terra.

Da Terra,

Ao Ar.

Do Ar,

Ao Fogo.

Do Fogo,

À Água.

Da Água,

À Fonte,

Da Fonte,

À Origem.

Da Origem,

O Nada.

Por Héllen A. Carvalho.

 

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: